Com a presença do Conselheiro da UNECS, o encontro ressaltou as conquistas do setor e a importância da classe em participar mais das decisões políticas

 

 

A diretoria da ASSURN e supermercadistas do Rio Grande do Norte participaram de um almoço promovido pela ABRAS na tarde da última sexta-feira (17), em Natal. Com a presença do Conselheiro da União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços (UNECS), Fernando Yamada, e o diretor de Relações Institucionais da entidade nacional, Alexandre Seabra, o encontro ressaltou as conquistas do setor no estado e no Brasil. Também participaram da reunião o Deputado Federal do RN, Rogério Marinho, um dos criadores da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Comércio, Serviços e Empreendedorismo – Frente CSE, o candidato a suplente de senador, Marcelo Queiroz, o Presidente da Federação da Câmara dos Dirigentes Logistas do RN, Afrânio Miranda, e o diretor da Federação das Indústrias do RN, Edilson Trindade.

Na abertura do encontro, o diretor da ASSURN, Geraldo Paiva Junior, ressaltou a importância da classe empresarial despertar para a participação do setor na política. “Precisamos ter representantes em Brasília que defendam as demandas e necessidades do comércio, dos supermercados, para ajudar a nossa categoria a se desenvolver ainda mais”.

O mesmo tom foi usado pelo presidente da ASSURN, Luiz Antônio de Moura. “Somos um setor que emprega mais de 100 mil pessoas no estado, que representa 70% do ICMS arrecadado no varejo no Rio Grande do Norte. Não podemos ficar alheios às decisões tomadas que impactam diretamente no funcionamento das nossas atividades”, disse.

Conselheiro na UNECS, Fernando Yamada, diretor da ASSURN, Geraldo Paiva Junior, assessor jurídico da ASSURN, Marcello Rocha, deputado federal, Rogério Marinho (PSDB/RN).

 

Para o Conselheiro da UNECS, Fernando Yamada, muitas conquistas como a modernização das leis trabalhistas e o reconhecimento dos supermercados como atividade essencial só foi possível quando o setor começou a ter mais proximidade com os políticos e lutou por suas reivindicações. “Depois que foi criada a UNECS e a Frente CSE, todos os pleitos que nós tínhamos foram acontecendo. Em menos de 2 anos nós conseguimos fazer aquilo que a ABRAS há 40 anos não conseguia. Começamos a mostrar que éramos pessoas, que éramos empresários que queriam resolver o Brasil, e eles começaram a entender”, explicou.

O deputado federal Rogério Marinho (PSDB/RN) destacou que um dos grandes êxitos de seu mandato foi garantir igualdade de direitos com a reforma trabalhista e deixar um legado no país. “Quem perdia com a legislação que nós tínhamos era o trabalhador. Com a insegurança jurídica que existia, a contratação de pessoal era a última opção do empreendedor, ocasionando muitos desempregados”, esclareceu.

O parlamentar também destacou a necessidade da classe empresarial sair da inércia, do comodismo, da indisposição de participar do processo político e começar a opinar e contribuir com argumentos, mobilização e presença efetiva, para que a categoria tenha resolutividade nas suas questões.