Apresentação buscou mostrar que novas ações são necessárias para romper com hábitos negativos do passado e gerar melhores resultados no varejo

 

 

Mudança de pensamento e comportamento são duas medidas fundamentais para ter sucesso no que se faz. O ensinamento faz parte da apresentação feita durante a palestra “Estratégia das 3 Caixas: crie o futuro, quebre o retrovisor e pague o preço da mudança. Um modelo para fazer o seu 2019 um ano diferente”, promovida pela Associação dos Supermercados do Rio Grande do Norte (ASSURN) nos dias 23 e 26 de outubro, em  Natal e Mossoró.

O evento que teve como palestrante a consultora organizacional Kelly Malheiros, sócio-fundadora da empresa de educação corporativa, KM Partners, reuniu mais de 220 pessoas entre empresários e colaboradores de supermercados associados, nas duas cidades. O objetivo foi estimular a mudança necessária para alcançar uma nova visão de negócios, quebrar paradigmas e romper com hábitos negativos do passado para gerar melhores resultados no varejo.

A abertura foi feita pelo presidente da associação, Luiz Antônio de Moura, que destacou as ações da ASSURN nos dois anos em que esteve à frente da associação. Luiz Antônio aproveitou a oportunidade para anunciar os novos presidente e vice-presidente da entidade, os empresários Nelson Leiros e Gilvan Mikelyson, que irão tomar posse para o biênio 2018/2020.

Com mais de duas horas de apresentação, a especialista trouxe para a palestra exemplos reais para explicar como a mudança de comportamento e ações dentro e fora do trabalho pode contribuir para garantir resultados satisfatórios para a empresa e para o trabalhador, que adquire mais experiência e oportunidades de crescimento profissional.

Entre os pontos abordados, a consultora ressaltou a falta de comunicação clara e a rivalidade entre alguns setores da empresa como uma das causas do baixo rendimento. A divergência encontrada em alguns ambientes é extremamente negativa e acaba prejudicando os resultados.

Outro tema discutido foi a falta de entrosamento e envolvimento de alguns funcionários com a empresa. “É comum encontrar pessoas que querem ser donas do próprio negócio, mas não sabem como a empresa funciona. As pessoas precisam aprender a ser funcionários, para depois se tornarem donos. Precisa entender a vida do patrão, aonde dói, aonde estão as despesas altas. Tem que entender que precisa fazer milagre na operação porque o nosso país é dos maiores em carga tributária. Então, esse jeito de pensar é que define tudo”, explicou.

O comportamento de donos e gerentes que acham que já sabem de tudo também precisa mudar, de acordo com a especialista. “Precisa se reinventar, se renovar, mudar paradigmas. Precisa saber escutar mais, não pode achar que é o dono da verdade. A base, a operação pode trazer várias ideias boas, mas para isso, precisa saber escutar”, esclareceu.

Segundo Kelly, a falta de capacitação nas lojas também é um dos pontos negativos que contribuem para a perda nas empresas. É preciso treinar as pessoas, investir nos colaboradores.

Para Sérgio Luiz, gerente administrativo do Favorito Supermercados a palestra foi uma oportunidade de esclarecer as ideias. “Abre um pouco a nossa mente, que muitas vezes são coisas que a gente sabe, mas não consegue enxergar. E replicar isso na empresa vai nos trazer resultado”, disse.

O chefe administrativo do Assaí Atacadista, Igor Paiva, elogiou o conteúdo apresentado e destacou a importância de motivar os colaboradores. “São coisas do nosso dia a dia e é super importante motivar a base, porque sem dúvidas, são eles que fazem as coisas realmente acontecerem. Sem eles a empresa não tem sucesso”, declarou.

A motivação também foi o ponto destacado pelo gerente do supermercado RedeMais Santa Cruz, Arivaldo Costa. “Acho que o grande segredo é olhar a base, se envolver com a base da sua equipe. É onde está, de repente, o grande segredo da sua empresa”, falou.

Para a consultora Kelly Malheiros, o público potiguar se mostra muito disposto a aprender e a se aprimorar. “Eu vejo essa vontade que eles têm de melhorar, os processos, as pessoas, e uma disposição em aprender. Percebo o respeito por quem está ministrando, percebo a concentração, a vontade de fazer e colocar as coisas em prática. Sempre quando eu venho aqui, a plateia tá cheia, isso é um sinal que eles querem aprender. Então eu acho que é um trabalho para melhorar o varejo do Rio Grande do Norte e, sobretudo, para melhorar o nível de consciência das pessoas”, finalizou.