Transmissão teve como convidado o supermercadista Eugênio Pacelli de Medeiros

 

A ASSURN realizou na noite desta quinta-feira (25) a sua primeira live. O tema, não poderia ser outro, a atividade supermercadista durante a pandemia. Para discutir o assunto, a associação convidou um especialista no tema que atua diretamente com a gestão de supermercados diariamente, o diretor executivo da RedeMAIS, Eugênio Pacelli de Medeiros, ex-diretor da ASSURN.

O bate-papo foi conduzido pela gestora de eventos da ASSURN, Cida Alves. Logo no início, Eugênio fez uma introdução sobre esse momento de pandemia. “É um momento que exige um esforço concentrado de todo mundo e uma troca de informações muito grande. Ao longo praticamente desses 90, 120 dias, a gente participou de muitos momentos com a ASSURN, com outros associados, e se discutiu muito providências, iniciativas no sentido de reduzir o impacto disso em todos os sentidos, no sentido da segurança do colaborador, do consumidor, no sentido da discussão dos decretos, na implementação de uma série de cuidados. Passamos por tantas coisas ao longo desses anos, planos econômicos, hiperinflação, mas com certeza esse tem sido o maior desafio pra todo mundo”, disse.

Um dos questionamentos feito durante a live foi sobre o receio da população com o desabastecimento, assim como ocorreu em outros estados e com mais evidência em outros países. “No Brasil, no começo, em algumas lojas, houve uma busca desenfreada. E isso aconteceu por dois motivos. O primeiro, pelo medo de faltar produto e por outro lado, o consumidor quis evitar ficar saindo de casa, então quis fazer um estoque”, explicou.

Eugênio também destacou o trabalho emocional desenvolvido com os colaboradores da rede que gerencia e ressaltou a importância das empresas estarem atentas a esse cuidado mais humano. “O RH, com a equipe de psicólogas, fez uma pesquisa interna com 988 colaboradores para escutá-los, sentir como está o nível de preocupação, de insatisfação, essa convivência no front com o consumidor, com os colegas. A força de trabalho precisa ser muito cuidada. Isso mostra a preocupação que a gente tem com as pessoas”, e acrescentou: “todos esses investimentos que custam muito, mas tem sido uma necessidade, é uma forma de valorizar e dar aquele apoio moral pra quem tá ali, muitas vezes deixando a família em casa, e que tem que ir a luta todo dia para garantir o pão e o emprego”, declarou.

O diretor executivo também falou sobre o trabalho realizado pela associação durante as medidas dos governos municipais e estadual que afetavam a atividade supermercadista. “A ASSURN tem sido muito atuante em vários canais. Tivemos duas reuniões com a governadora, uma com o prefeito, duas ou três com os dois procons por causa de preços. A gente entregou aos procons uma lista de produtos que estavam tendo reajustes um pouco acima da média, com os respectivos nomes dos fornecedores, mostrando que não estava havendo especulação, que era uma questão de mercado”, e continuou: “a associação tem estado muito presente tanto no âmbito de ajudar, no sentido social propriamente dito, mas principalmente nesse embate com os órgãos fiscalizadores, com os órgãos reguladores. Quando isso vem do órgão regulador pra gente, vem sem nenhuma experiência, nenhuma expertise. Eles querem simplesmente aplicar as regras, e a gente foi muito valente nessa luta. Criamos um comitê de crise na época, e esse comitê se reuniu inúmeras e inúmeras vezes. E Graças a Deus a gente conseguiu fazer o setor funcionar do jeito que está funcionando. E isso só foi possível porque por trás de tudo existe uma instituição que representa o setor”, esclareceu.

O bate-papo com duração de quase uma hora ainda tratou sobre outros assuntos, como o que esperar do pós-pandemia, o crescimento do serviço de delivery durante o isolamento social e das campanhas de doações promovidas pela ASSURN e supermercados associados. A live completa pode ser acessada no IGTV no perfil do instagram da associação (@assurn.supermercados).