O presidente da ASSURN, Nelson Leiros, o diretor da associação, Geraldo Paiva, e o delegado junto à Abras, Luiz Antônio de Moura, estiveram em Brasília nos dias 27 e 28 de março, a convite da entidade nacional, para participar de dois eventos importantes na capital Federal. O primeiro deles foi o relançamento da Frente Parlamentar do Comércio, Serviços e Empreendedorismo (CSE). Em uma noite de muita representatividade e sintonia entre os setores público e privado, a nova diretoria tomou posse, em cerimônia realizada no Clube Naval, em Brasília. Além do vice-presidente da República, Hamilton Mourão, centenas de parlamentares e representantes dos setores representados pela CSE prestigiaram a cerimônia, que teve como grande destaque a reforma previdenciária.

Empossado como presidente da Frente CSE para o segundo mandado, o deputado Efraim Filho (DEM/PB) fez um discurso muito enfático, de crítica ao sistema brasileiro que muito onera e pouco encoraja o trabalho do setor que mais gera emprego e que mais tem participação no Produto Interno Bruto do país. “O setor tinha uma participação muito tímida no parlamento e agora, ao lado da União de Entidades do Comércio e Serviços (Unecs), vem compor o trabalho da nossa frente, unindo setor produtivo e parlamento para construir a agenda do governo e, acima de tudo, a agenda do Brasil”, destacou.

Sobre a reforma da Previdência, o presidente da Frente CSE reiterou as várias batalhas que existem em torno da discussão, mas destacou o que chamou de “guerra da comunicação”, afirmando ser o passo mais importante para a conquista da reforma. “É preciso mostrar para a população que o modelo injusto é o que temos atualmente. Quando dizemos não à Nova Previdência, dizemos sim à desigualdade”, enfatizou.

E apesar de os holofotes estarem todos voltados à Previdência, continuou, existem outros temas de microeconomia que são importantíssimos, como o Cadastro Positivo e a redução do spread bancário, por exemplo.  Além da diretoria empossada na noite de ontem, a Frente CSE já possui como membros 210 deputados e 17 senadores até o momento.

O presidente da União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços  (Unecs)  e da Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB), George Pinheiro, disse não ser exagero afirmar que a Frente CSE e a Unecs formam uma importante parceria público-privada. “Somos a voz dos empresários e a Frente é a ponte que transforma nossos pleitos em decisões e projetos. É uma honra estar presidindo a Unecs nesse momento em que o país se transforma e busca equilíbrio, que começa com a reforma da Previdência”, afirmou.

 

Durante a solenidade, o secretário-especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Marinho citou o sonho coletivo de um país desburocratizado, moderno e que dê aos empresários condições de empreender. “O empreendedor brasileiro é um herói, porque apesar de tudo, ele persiste, é resiliente e, pouco a pouco, vai vencendo os obstáculos que lhe são postos pelo próprio Estado, que não o enxerga como um gerador de empregos, mas como um predador que precisa ser caçado”, criticou.

Sobre a UNECS

Criada em 2014, a União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços é formada por nove das maiores instituições do setor: Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores (Abad), Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), Associação Brasileira de Automação para o Comércio (Afrac), Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco), Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), Associação Brasileira de Supermercados (Abras), Confederação Nacional de Dirigentes e Lojistas (CNDL) e Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB). A Unecs é responsável por 15% do PIB brasileiro; 65% das operações de crédito e débito no país e pela geração de 22 milhões de empregos diretos.

 

*Com informações da Assessoria de Comunicação da UNECS/ABRAS